segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Partilha 25 – Nós e Ester, o que temos em comum? (segunda parte)

Capitulo 1 e 2 do livro de Ester
Quem és tu? Que diploma tens? Quem são os teu pais? São perguntas que tantas vezes surgem na boca de outras pessoas ou na maioria das vezes dentro da nossa mente, que querem levar-nos a pensar na nossa pequenez, na nossa insignificância diante de outros! Um dia, um casal estava a discutir diante de nós, e de repente oiço a esposa a dizer para o marido: O que era de ti se não fosse eu? Sem estudos, os teus pais pobres e moravas naquela casa pequena, se não fosse casares-te comigo, eras um infeliz! Fez-se um silencio horrível, o rosto daquele homem fechou-se, que triste intervenção a daquela esposa! Estou certa que quando casamos, fazemo-nos melhores um ao outro e de maneira nenhuma existe um elo mais fraco nessa união, muito menos por causa das nossas origens, aparência ou condições financeiras! Mas infelizmente, nós somos muito fracos no julgamento das pessoas, por isso Deus nos ensina a não julgar ninguém, a tratar a todos da mesma forma e a honrarmo-nos uns aos outros, porque Ele sabe que os parâmetros de julgamento que usamos não são os certos, o certo é julgar pelo coração, mas esse só Deus conhece. Oh! Que alegria quando lemos a Bíblia e entendemos que Deus escolhe pessoas de diferentes tipos de classe, pobres, ricos, mestres, profetas, agricultores, homens, mulheres, solteiros, casados, viúvos, crianças, idosos, órfãos, etc. Para não falar do carácter dessas pessoas, tímidos, corajosos, extrovertidos, medrosos, faladores, calados, obedientes, desobedientes, teimosos, presunçosos, vaidosos, humildes, pacificadores, guerreiros, mentirosos, verdadeiros, etc. Deus toma quem quer e usa da forma que Ele quer, porque Deus conhece verdadeiramente o que cada um consegue, e onde pode chegar com a Sua ajuda! Deus olha para aquilo que a pessoa é e tem da mesma forma que que o arquiteto olha para o terreno vazio, e de imediato desenha todo o grandioso projeto com aquilo que tem. 
Ester era órfã, vivia com um primo, na terra de Susã, longe das origens dos seus pais, era bonita, jovem, e tinha um carácter submisso. Estava no anonimato, no meio de tantas mulheres bonitas que existiam no grande império Persa. Até que algo inesperado acontece, por uma razão inacreditável, o rei Assuero está sem rainha. Vasti foi deposta, porque ela não quis apresentar-se diante dos seus ilustres convidados, para exibir a sua beleza durante um banquete. Segundo a história e tradição persa, os reis não exibiam as suas rainhas, era mesmo desonra para o reino, por isso o que Vasti fez deveria ter sido tomado como uma proteção para o bom nome do Rei. Assuero, diz a bíblia, estava já alegre com o vinho de tantos dias de festa, e ficamos conscientes, ao ler o primeiro capitulo do livro de Ester, que Assuero estava também a querer impressionar os seus convidados tal como faziam os gregos, para mostrar a sua superioridade em tudo, visto que os gregos haviam envergonhado o exercito de seu pai anos antes numa batalha. Agora Assuero, que está a formar o maior exercito possível, ultrapassa todos os limites até os da sua própria cultura! Mas como falamos na Partilha 24, Deus estava por detrás de todo o plano. Por isso, é desta forma, que os servos do reino saíram pelas províncias à procura de todas as candidatas possíveis ao lugar de Vasti. Em nenhuma parte da narrativa fica claro que Ester tenha sido obrigada a ir para o Harém do palácio, uma coisa fica certa, ela entra na situação como fazendo de tudo para conseguir conquistar o coração do rei. Certamente ouve uma seleção mas diz a Bíblia que Ester agradou de imediato ao eunuco responsável, Hegai. Quando Ester estava no palácio, ela sempre foi submissa ao seu primo, nunca revelou as suas origens judaicas (isso ia impedir-lhe de ser rainha) e ficou submissa ao eunuco, fazendo o que este lhe orientava, ela entendeu que essa era a forma mais inteligente de conseguir agradar o Rei. Ester com inteligência, esperteza, beleza derrotou todas as outras candidatas e quando o Rei a viu, escolheu-a para o lugar de Vasti. 
Ninguém dava nada por Ester, com uma vida tão simples e despromovida, mas Deus olhou para as suas qualidades e colocou-a acima de todas as outras, quem diria que aquela Ester, que de um ponto de vista humano, tinha tudo para ser um nada...mas chegou ao lugar de Rainha. 
Tu não és uma mulher inferior, quem tu és, nas mãos de Deus e apenas com Deus, pode levar-te mais além, o plano de Deus é surpreendente! 
Ser Mais Mulher é saber que de onde ela veio, o que ela sabe, as oportunidades que teve são apenas acessórios que Deus pode usar para fazer dela Rainha... O seu passado não é o que faz o seu presente, de forma nenhuma, ela sabe que Deus pode levá-la onde ele quiser e transformar o mal em bem e o bem em preciosidades

Sem comentários:

Enviar um comentário